Terra do Nunca

sexta-feira, julho 16, 2010

Nunca fui fã de Michael Jackson. Logo, não acompanhava sua carreira, não me interessava por sua vida artística, nem pelo seu sucesso. Sabia apenas que ele era um "acontecimento", o rei do pop, como dizem. Do Michael estrela pouca coisa me toca, uma ou outra música apenas, porém, do Michael pessoa muito me chama a atenção.

Quando olho para ele menino, como nesta foto, meus alarmes soam expressivamente no que diz respeito á figura marcante que um pai e uma mãe desempenham na vida de um sujeito. Fico aqui pensando na importância que estes papéis têm, no poder que podem exercer e determinar, principalmente, a vida psicológica de todos nós.

Considero que o "implicado" neste papel não deve vir apenas do dever, mas da vontade própria., mas, infelizmente, este papel que deveria ser o de cuidado, de amor, de identidade e segurança nem sempre é cumprido e daí as mazelas, chagas e feridas da alma.

Michael começou a trabalhar com cinco anos de idade, imposição feita por seu pai Joe Jackson, uma figura excessivamente agressiva e autoritária, conforme o próprio Michael colocava em várias entrevistas suas. Embora por caminhos tortuosos, teve êxito nos planos do pai.: carreira brilhante. Sua sonoridade musical, suas performances, técnicas de dança, ou seja, seu estilo diferente, influenciou muitos outros artistas assim como, abriu portas para outros ícones negros.

De algum modo, vejo isso como uma grande vitória particular dele, já que foi criado num ambiente hostil, onde negro era a margem da sociedade e mais tarde veio a ser recorde de público, fazendo com que as pessoas inegavelmente concebessem o talento dele, e abrissem seus olhares para outros negros, quebrando barreiras raciais.

Poderia ter sido só uma história de superação, mas foi além. Ele foi notável, porém, triste, ferido profundamente. Visivelmente, nunca se via um Michael sorridente, leve e feliz. Não sei se eram estratégias de marketing (não entendo muito disso!), mas creio eu, que toda essa aparência era mesmo aflorada por seu estado emocional, que de tão frágil, nunca lhe deu a segurança e a aparência de um homem adulto e dono de si.

As constantes buscas, como as várias plásticas, toda engenhosidade da Terra do Nunca (sua propriedade) e a busca por ter filhos parece-me dizer sobre a vontade que ele tinha de ter tido um "mundo" diferente.

Uma vez perguntado sobre o porquê de tantas plásticas, ele afirmou que sempre teve pavor de ser parecido com seu pai. Ele não queria só afugentar os traços físicos herdados daquele homem terrível, ele queria banir as lembranças, tentar sanar, minimamente que fossem, as feridas profundas que seu pai deixara impressas nele, "expurgando" até a própria pele. Queria ser outro... Um sofrimento que quase não cabia em si, exalava pelos poros...

Sabe-se que o pai o ridicularizava, falava mal da sua aparência, o agredia verbalmente e fisicamente. Sim, uma criança abandonada! E me pergunto: O que é uma criança frente ao poder austero de um "pai" descontrolado? Meramente um objeto, infelizmente. Se sujeitará a tudo para não perder o "amor" daquela criatura que o destrói. EMichael era isso, um negócio lucrativo desrespeitado em todas as suas dimensões...

Toda criança sonha em ter uma família que a abrigue e a ame incondicionalmente. Pasmem, até as que são frequentemente espancadas. È o caso de muitas crianças que se encontram em lares e abrigos com as quais tive contato. Desejam ter pai, uma mãe- um lar, assim, como nós todos. E elas têm na sua pureza a razão. Que lugar melhor no mundo há como a nossa casa? Me faz relacionar com o próprio aconchego uterino. Quem dera existissem sempre lares e que todo lar fosse lugar de abrigo...

Por que escolhi esta foto? Porque ela me comove! Olhe para ela um pouquinho, veja o que é ser criança...

Nos meninos a felicidade é tão simples, tão pura. Criança é criança em qualquer lugar, sempre um brilho nos olhos e uma alegria insistente... Lugar de criança é em árvores, nos pátios, nas cirandas... Ser menino é ser da vida. Poderia ter sido diferente com ele.

Lendo sobre ele, descobri que depois de um show, ele anuncia o fim do Jacksons Five, para a surpresa dos irmãos e do pai. Escoltado por seus seguranças, o pai não podia mais agredi-lo. Eis que surge Neverland (Terra do Nunca) e lá Michael se refugia... (criança e adulto se defrontam o tempo todo). Ele parece ter buscado esta fase perdida construindo o mundo mágico dos sonhos, Neverland - o seu mundo. Lá ele pode ser a criança que um dia foi impedida de viver as meninices da vida.

Michel tinha paixão por crianças, especulava-se e até houve escândalos ligados á pedofilia. Também divagava-se sobre uma possível homossexualidade. Se ele era pedófilo, não sei. Se era homossexual, também não sei. Tudo isso pode ser e não ser devido ao seu histórico de vida., mas não vou entrar neste âmbito.

Não supridas as necessidades, Michael, acarretado de insegurança e angústia, fica com comprometimento na constituição da sua subjetividade. Ele parecia um pássaro adestrado que voa atrapalhado dentro da gaiola e de tão frágil que se tornou um depósito de frustrações. Parecia sempre sem vida, salvo quando estava na companhia de crianças, verdadeiro símbolo de amor. Se identificava com elas.

Michael queria ser pai, e foi. Diante das suas condutas paternas, na minha simples e informal leitura, afigura-se que havia uma vontade imensa de amor. Ao desempenhar o papel de pai, tentava salvar a si mesmo. Parto do ponto de vista que um filho é a nossa extensão, ou seja, a nossa imortalidade, assim, Michael tentava dar amor que não recebeu a si próprio. E ele realmente foi um pai amoroso, conforme todos ouviram de Paris, sua filha, no seu velório: "o melhor pai do mundo!"

"Frágil testemunha de um crime sem perdão..." Uma figura exposta do começo ao fim. Fora os fatos escancarados ao mundo, também temos as suas composições, que sempre falavam de amor e pedidos de amparo.

Não podemos deixar de refletir na importância do cuidado com uma criança em formação. Na importância do amor, do respeito. Uma criança amparada, amada e respeitada aprende com o exemplo que recebe. A atenção integral influenciará no sucesso escolar, na formação das relações, na independência, portanto, no preparo para a vida. Mais que um direito social é um direito humano. O adulto que tratamos aqui, transfigurado e complicado, antes foi apenas uma criança ferida, negligenciada...





[Luh T/julho-10]

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Carinho da Van

Carinho da Van
Blog Retalhos do que sou

Com açúcar, com afeto

Com açúcar, com afeto
Ganhei de presente da Ingrid (Blog Perfumes e Palavras)

Selinho de presente da Van

Selinho de presente da Van
Porque o amor tem desses afagos...